quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Preparação de Artigo


Salve galera,

Bom venho informar que estou preparando um artigo relacionando Fórmula 1 e Administração Empresarial, as relações que vejo e como aplicar práticas deste esporte (muito comercial por sinal) as empresas.

Em Breve posto aqui no blog.

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Tradução das mensagens do Livezilla

Acesse seu Livezilla Cliente

System > Options > Predefined Menssages
Clique em New, selecione PT - Portuguese

No primeiro campo "Welcome Message for..." adicione:
Olá %external_name%, meu nome é %name%, como posso ajudar?

No segundo campo "Invitation Text for..."adicione:
Olá, meu nome é %name%. Precisa de ajuda? Inicie o Chat agora para
obter assistência.

No terceiro campo " Website Push Text":
O Atendente %name% gostaria de redirecioná-lo para este URL:

%url%

_____


quinta-feira, 12 de novembro de 2009

VisaNet vira Cielo e entra na era da concorrência


------------------------------------------------------

SÃO PAULO (Reuters) - Antecipando-se a mudanças regulatórias do governo para ampliar a concorrência no setor de cartões, a VisaNet anunciou nesta terça-feira que passará a se chamar Cielo, em meio à campanha para fazer-se conhecida como empresa multibandeiras.

"Quando o mercado passa por mudanças, temos que refazer as estratégias", disse o presidente da companhia, Rômulo de Mello Dias, a jornalistas.

O contrato de exclusividade para lojistas receberem cartões Visa, que dura desde o início das operações da companhia, há 13 anos, e que a ajudou a firmar-se na liderança do setor no país, vence em julho de 2010.

Visualizando um mercado com mais competidores --Redecard, hoje única credenciadora dos cartões MasterCard, e VisaNet detêm mais de 90 por cento do setor--, a empresa já se prepara para um cenário em que o fator decisivo de sobrevivência será a combinação de preço e serviços.

Nesse aspecto, a mudança de nome é parte da estratégia de desvincular-se da inevitável associação à marca Visa, uma vez que a credenciadora já se prepara para trabalhar com outras marcas.

Além de operar com 89 diferentes cartões de redes de varejo (private label), a companhia já opera com a marca American Express e pode nos próximos meses fazer o mesmo com a bandeira Dinners. De acordo com Dias, as tratativas com a MasterCard ainda não começaram.

"Ficaria inapropriado continuar usando o nome VisaNet", apontou Dias.

Em paralelo, a agora Cielo deve lançar em breve programas visando a fidelizar lojistas. Um deles, batizado de plataforma promocional, permitirá parcerias para oferecer prêmios e descontos a consumidores. O projeto entra em vigor gradualmente a partir de 2010.

"Temos que falar a linguagem do comércio", disse Eduardo Chedid, diretor de soluções em negócios da companhia.

Embora evite falar a respeito, a Cielo admite que terá de enfrentar a principal fonte de reclamações dos lojistas, o preço de uso dos terminais (POS).

De acordo com Dias, a taxa média cobrada dos lojistas gira em torno de 2,5 por cento do valor das compras pagas com cartões. Segundo ele, esse índice é pouco superior à taxa praticada nos Estados Unidos, de 1,9 por cento.

"Pode ser (que tenha de reduzir os preços). Tem de ver como o mercado vai se comportar", disse Dias. "Mas não é só preço, tem de ter soluções para os lojistas", acrescentou.

A campanha, que começa neste final de semana nas mídias impressa e eletrônica, contará futuramente com o campeão olímpico César Cielo como garoto-propaganda.

(Reportagem de Aluísio Alves)

Fonte: Reuters
------------------------------------------------
[Arthur Bonora] Comentário -
Enfim a concorrência chega as empresas que credenciam lojistas para receberem com cartões de crédito, imagine como será bom para todo o mercado, com o contrato com uma única empresa poderemos receber todas as bandeiras de cartão de crédito e, podendo trocar de empresa caso encontremos negociações melhores.
Bom, espero para ver essa concorrência funcionando logo e tanto a Cielo credenciando MasterCard quanto a Redecard credenciando a Visa.

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

PayPal quer Brasil como base da operação na América Latina

Olá Leitores,

Infelizmente estou um pouco sem tempo de construir meus artigos devido a imersão em alguns projetos, mas para não deixa-los na mão, posto matérias interessantes que leio pela rede, como essa abaixo da Folha de São Paulo, sobre a vinda do PayPal para o Brasil, que promete aquecer muito o mercado on-line:


-----
Folha de S.Paulo

O crescimento do comércio eletrônico no Brasil está levando o PayPal a se instalar no país. Adquirido pelo eBay, um dos maiores sites de negócios on-line do mundo, o PayPal presta serviços de pagamentos e transferências de valores pela internet, atuando como intermediário nas transações para que os clientes não precisem digitar seus dados bancários toda vez que efetuarem uma compra pela web.

Atualmente, 2 milhões de brasileiros utilizam os serviços da companhia. Esse número, que representa 13% de todos os internautas que fazem compras pela rede no país, levou a direção do PayPal a escolher o Brasil como base de suas operações na América Latina.

"Vamos montar um escritório aqui, mas é um plano ainda sem prazo definido", disse René Pelegero, diretor de Estratégia do PayPal, durante o E-Commerce Summit, conferência do setor encerrada ontem em São Paulo. "Não há como ficar alheio a esses números. E estamos falando de uma base de cliente adquirida sem que fizéssemos nada no país."

Criado em 1999, o PayPal é uma companhia que permite transferência de dinheiro entre pessoas e empresas em 190 países e 29 moedas. Por isso, ele é usado em operações de compra e venda pela internet.

Por ele, o consumidor pode escolher a forma como pretende pagar, incluindo cartões de crédito, débito, boletos bancários, sem compartilhar informações financeiras. Isso porque só o PayPal passa a ter acesso aos dados, cadastrados e vinculados a uma conta de e-mail. No Brasil, o cadastramento é no site www.paypal.com/br.

Não por acaso, o faturamento global da companhia bateu em US$ 16 bilhões no segundo trimestre deste ano, o equivalente a 10% de toda a receita do comércio eletrônico mundial. O sucesso desse negócio levou o eBay a adquirir o PayPal por US$ 1,5 bilhão, em 2002.

Segundo Pelegero, o ritmo de crescimento do comércio eletrônico no Brasil é um fator importante para a decisão do grupo. O PayPal considera dados de pesquisa feita pela VisaNet na América Latina.

Em 2012, cenário mais distante, o comércio eletrônico estará movimentando US$ 13 bilhões no país, registrando crescimento de 21% ao ano. O valor será o dobro do obtido por México e Argentina. Hoje, estima-se que as vendas on-line movimentem R$ 13 bilhões no Brasil.

Desenhar fluxogramas

Pessoal, segue dica de uma ferramenta on-line, simples e fácil para desenhar fluxogramas e diagramas para seu projeto: https://demo.bpmn.i...